domingo, maio 25, 2008

Solidão.

Já deveria saber quantas estrelas há no céu;
Quantos segundos há numa noite;
Quantos luares observei;
Deveria saber em que momentos eu errei;
Sozinha, na janela do meu quarto;
Pensando no que passamos juntos;
Momentos insubstituíveis;
Foram jogados ao vento;
Ainda não sei o que aconteceu;
Minha mente permanece em branco;
Mas, para o meu coração, você ainda não morreu;
Noites passei em claro;
Mas sei que bons dias virão;
Quando vc me pedir desculpas;
E me der uma explicação.

(Tamires Almeida)

2 comentários:

Diego G. Ferrão disse...

Muito bom poema minha Rara!

Gosto muito!!

Continue escrevendo!

Te adoro!!

É um prazer e uma honrra abrir um espaço pra vc aki....

Tamires disse...

Ah meu raro,
quem tem que ficar honrada aqui sou eu :)
Obrigada (L)
também te adoro e gosto muito dos seus poemas
beeeeeeijos ;*